Fundo de Garantia (FGTS) do servidor  de contrato temporário

FGTS do servidor público contratado sem concurso público.

Servidor temporário, como funciona e quais são os seus direitos?

A CF/88 instituiu o princípio do concurso público, no qual, a pessoa somente pode ser investida em cargo ou emprego público após ser aprovada em concurso público (art. 37, II). 

Contudo, existe exceções que são estabelecidas no próprio texto constitucional. Nota-se:

 

IX — a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

Assim, a contratação temporária vai ocorrer quando um órgão da administração pública, uma autarquia ou empresa pública, necessita de pessoas para atender uma demanda de urgência "temporária" e de excepcional interesse público.

Nessas situações, o texto constitucional autoriza a contratação mesmo sem concurso público.

Ocorre que, para ser válida, a lei prevê prazos máximos dos contratos temporário, regra geral de 24 meses.

A prorrogação é permitida uma única vez e por igual período do contrato inicial (STF: ADI 890).

No caso, havendo renovações sucessivas de contrato entre ente público e o servidor, isso desvirtua a finalidade do contrato de trabalho temporário, tornando tais instrumentos nulos.

Nesse sentido, o próprio art. 37, § 2º, dispõe que o desrespeito à determinação de seleção de pessoal por meio de concurso público acarreta a nulidade do ato e a punição da autoridade responsável.

 

A contratação de pessoal por tempo determinado na administração pública é prevista de maneira excepcional, sendo sua adoção e aplicação restrita aos casos de configuração de excepcional interesse público. Por sua vez, o servidor público temporário é o agente público definido pelo regime especial de contratação provisória. (Art. 37, IX da CF/88).

Sendo o Servidor temporário regido por regime especial, então, ele não está amparado nem pelas leis que regem o servidor público efetivo e/ou regime da CLT.

Portanto, os direitos a verbas do décimo terceiro, férias remuneradas e acréscimo do terço constitucional demanda previsão legal ou contratual expressa a respeito.

Agora, se o contrato temporário não atender aos requisitos que a lei impõe, poderá ser considerado ilegal a contratação, tornando o contrato nulo.

De modo que, sendo o contrato temporário considerado nulo o servidor temporário passa a ter as verbas do décimo terceiro, férias remuneradas e acréscimo do terço constitucional, adicional de 40% do FGTS bem como o seu levantamento.

Nessa linha, o STF firmou entendimento de repercussão geral (com aplicação em processos de todo país) segundo o qual:

RECURSO EXTRAORDINÁRIO 1.066.677 MINAS GERAIS; RELATOR: MIN. MARCO AURÉLIO; REDATOR DO ACÓRDÃO:MIN. ALEXANDRE DE MORAES

RECURSO EXTRAORDINÁRIO. REPERCUSSÃO GERAL. CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. SERVIDOR PÚBLICO. CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA. DIREITO A DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO E FÉRIAS REMUNERADAS, ACRESCIDAS DO TERÇO CONSTITUCIONAL.

1. A contratação de servidores públicos por tempo determinado, para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, prevista no art. 37, IX, da Constituição, submete-se ao regime jurídico-administrativo, e não à Consolidação das Leis do Trabalho.

2. O direito a décimo terceiro salário e a férias remuneradas, acrescidas do terço constitucional, não decorre automaticamente da contratação temporária, demandando previsão legal ou contratual expressa a respeito.

3. No caso concreto, o vínculo do servidor temporário perdurou de 10 de dezembro de 2003 a 23 de março de 2009.

4. Trata-se de notório desvirtuamento da finalidade da contratação temporária, que tem por consequência o reconhecimento do direito ao 13º salário e às férias remuneradas, acrescidas do terço.

5. Recurso extraordinário a que se nega provimento. Tese de repercussão geral: "Servidores temporários não fazem jus a décimo terceiro salário e férias remuneradas acrescidas do terço constitucional, salvo (I) expressa previsão legal e/ou contratual em sentido contrário, ou (II) comprovado desvirtuamento da contratação temporária pela Administração Pública, em razão de sucessivas e reiteradas renovações e/ou prorrogações”.

No mesmo sentido, é o Recurso extraordinário 596.478 RR, dispõe a possibilidade do recebimento do FGTS:

EMENTA Recurso extraordinário. Direito Administrativo. Contrato nulo. Efeitos. Recolhimento do FGTS. Artigo 19-A da Lei nº 8.036/90. Constitucionalidade. 1. É constitucional o art. 19-A da Lei nº 8.036/90, o qual dispõe ser devido o depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço na conta de trabalhador cujo contrato com a Administração Pública seja declarado nulo por ausência de prévia aprovação em concurso público, desde que mantido o seu direito ao salário. 2. Mesmo quando reconhecida a nulidade da contratação do empregado público, nos termos do art. 37, § 2º, da Constituição Federal, subsiste o direito do trabalhador ao depósito do FGTS quando reconhecido ser devido o salário pelos serviços prestados. 3. Recurso extraordinário ao qual se nega provimento.

Em suma, se o servidor temporário tiver seus contratos renovados sucessivas e reiteradas e/ou prorrogações, desvirtua a finalidade do contrato de trabalho temporário, tornando tais instrumentos nulos. E, portanto, tendo como consequência o reconhecimento do direito ao 13º salário e às férias remuneradas, acrescidas do terço, bem como o direito ao levantamento do FGTS e multa do 40% do FGTS.

Qual o prazo para requerer o direito?

O prazo de prescrição para cobrar essas verbas é de 5 (cinco) anos contados do último dia trabalhado.

Exemplo, se o servidor encerrou o contrato temporário em 01 de dezembro de 2017, seu prazo para requer o direito ao Fundo de Garantia encerra em 01 dezembro de 2022.

Fundo de Garantia é 8% do salário. Isso é verdade?

É verdade. O Fundo de Garantia corresponde à 8% do salário. Pois bem, para entender melhor, observe o seguinte exemplo: No caso, uma Servidor(a) do Município de Cuiabá-MT laborou para município desde novembro de 2016 com um salário médio de R$ 1887,02 hoje teria direito a receber R$ 6.340,36 de fundo de Garantia mais juros e correção monetária.

Ainda, caso essa servidora não tenha recebido Férias e Terço de Férias, o(a) Servidor(a) faz jus ainda ao recebimento das FÉRIAS INTEGRAIS E PROPORCIONAIS, ACRESCIDAS DO TERÇO DE FÉRIAS de todo o período contratual. Ou seja, a servidora teria um total de R$ 16.404,42 para receber.

Tive contrato temporário por 5 anos. O que fazer para receber?

O primeiro passo é procurar um advogado especializado, pois seu direito só será alcançado por meio de uma ação judicial.

4.png

Contato

Redes Sociais

Nosso Escritório de Advocacia está localizado na Avenida Vereador Jorge Witzak, 149, Cristo Rei, Várzea Grande -MT 

Previdenciário: 65-99256-4308

Trabalhista: 65-99251287

Nos acompanhe nas redes sociais

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

© Almeida & Carlos Advogados- Todos os Direitos Reservados. Termos de Serviços | Política de Privacidade | Mapa do Site